(Texto divulgado pela Disney Brasil)

QUEM É QUEM EM VALENTE

Cineastas Escalam Distintos Personagens e Talentos de Voz Para Dar Vida a Épico de Aventura

De um trio de pequenos irmãos travessos a uma elegante – e de certa forma rígida – rainha, sem mencionar os extravagantes lordes, VALENTE apresenta um elenco de personagens bastante diversificado e um lista de profissionais talentosos que emprestam sua voz a eles.

MERIDA

Passional e impetuosa, Merida é uma adolescente teimosa de descendência nobre que luta para ter o controle de seu próprio destino. Ela se sente mais à vontade ao ar livre, aperfeiçoando suas impressionantes habilidades de arqueira e espadachim e cavalgando pelos campos das Highlands em seu fiel cavalo, Angus.

Merida também tem um lado doce, especialmente quando se trata de seus irmãos trigêmeos. Como filha do rei e da rainha, sua vida é cheia de responsabilidade e expectativas, o que a faz ansiar por preservar sua liberdade e independência. Quando Merida ousadamente desafia uma antiga tradição, as consequências de suas ações se tornam desastrosas para o reino. Ela precisa correr contra o tempo para corrigir o resultado de seu comportamento impensado, sua jornada a força a olhar para dentro de si mesma para descobrir o significado de valentia e revelar seu verdadeiro destino.

Os artistas do Estúdio Pixar Animation levaram os fortes passatempos de Merida em consideração quando criaram o visual da personagem. “Nós sabíamos que Merida precisava de força na parte superior do corpo para puxar seu arco para trás”, diz Steve Pilcher, desenhista de produção. “Nós queríamos sentir sua força. Ela é uma arqueira habilidosa, não é uma menina comum. Ela tem uma grande força e nós queríamos que isso ficasse visível.”

E assim como a força de Merida é vista em seu físico, seu espírito vibrante fica evidente em seus cabelos.

“O cabelo de Merida é selvagem e vivo, e ele se torna um personagem por si só. Eu acho que ele se encaixa nela muito bem porque é indomável, assim como ela. Sua mãe está constantemente tentando penteá-lo e colocar uma touca na cabeça dela, e ela não quer nada disso.”

~ Kelly Macdonald, a voz de Merida

Do mesmo modo, o guarda-roupa de Merida demonstra a dissonância entre mãe e filha. Os artistas criaram um visual informal para Merida que permitisse que ela montasse confortavelmente em seu cavalo e praticasse arco e flecha. Em contraste, seu traje formal precisava ser apertado para ilustrar o confinamento da vida que Elinor espera que ela adote. Tia Kratter, diretora de arte de sombreamento e tonalidade, adotou uma abordagem definitiva para o visual real de Merida. “Eu fui direto à loja de tecidos e procurei tecidos que Merida odiaria sendo uma atleta ? tecidos que fossem brilhantes, de cetim e que limitavam seus movimentos.”

Macdonald, por sua vez, gostou do fato de Merida ser uma personagem com força e de opinião. “Merida não é a heroína típica”, diz ela, que segue dizendo: “Eu tenho muito orgulho de fazer a voz da primeira protagonista feminina da Pixar”.

“A animação mexe com diferentes músculos no desempenho, porque tudo parte da sua voz”, continua Macdonald. “Eu sou a rainha da sutileza quando estou trabalhando, mas não se pode contar com nenhum movimento facial, então é muito difícil para mim. Merida foi um personagem muito divertido de interpretar e sua voz não é muito diferente da minha. Eu amplifiquei o lado adolescente que nunca saiu da minha vida ? eu só tinha que fingir que minha mãe estava no mesmo ambiente. Nada mexe mais com você do que seus pais.”

O diretor Mark Andrews viu uma ótima ligação entre Macdonald e Merida. “Kelly é muito viva e vibrante e tem muito charme, inteligência e peculiaridades, o que funciona perfeitamente para Merida. A personagem é engraçada e desajeitada e é capaz de rir de si mesma, mas tem uma ansiedade escocesa adolescente. Kelly Macdonald é a alma da personagem e torna Merida realmente atraente.”

Macdonald certamente compartilha o amor de Merida por sua terra natal. “Isso pode soar meio tendencioso, mas a Escócia é o país mais bonito do mundo”, conclui a atriz. “Os cineastas conseguiram captar até o menor detalhe ? os cenários são exuberantes e verdejantes, fazem você ter saudades de casa.”

RAINHA ELINOR

Uma imagem de graça, sabedoria e força de caráter, a Rainha Elinor é determinadamente dedicada ao bem-estar de sua família e do reino. Como um contraponto diplomático a seu marido, mais impulsivo, o Rei Fergus, Elinor carrega o peso do reino sob os ombros com o objetivo de manter a frágil paz entre os voláteis clãs. Elinor se esforça para incutir em Merida conhecimento e boas-maneiras nobres, esperando total comprometimento com os padrões de Elinor. Mas sua visão do futuro da filha está em jogo com o espírito rebelde e o desejo de trilhar o próprio caminho de Merida, que acaba fazendo Elinor enfrentar consequências terríveis.

“Elinor é bonita, mas está sob grande pressão”, diz Pilcher, “o que é difícil de mostrar visualmente. Nós acrescentamos um pouco de cabelo branco para realmente mostrar seu passado ? esta mulher passou por muito estresse na vida, a rebeldia da filha é só a ponta do iceberg. Essa história não contada e uma certa imperfeição tornam Elinor ainda mais interessante.”

De acordo com Pilcher, a equipe de desenho estudou quadros de Lady Macbeth, entre outras heroínas trágicas, incorporando os trajes pesados e tecidos volumosos que observou para ilustrar o peso que Elinor carrega. A atriz Emma Thompson, que faz a voz da rainha, diz que é essa atenção aos detalhes e a intensa pesquisa que fazem da Pixar um sucesso. “Eu fiquei muito feliz de ter sido convidada para trabalhar para a Pixar, porque seus filmes são trabalhos geniais e possuem uma arte extraordinária”, diz ela. “E o que realmente me fez querer fazer VALENTE ainda mais do que minha adoração pelo trabalho da Pixar foi o fato de ele ser ambientado na Escócia. Eu sou metade escocesa, e moro lá por três ou quatro meses por ano. A Escócia para mim é a terra da liberdade, a terra dos valentes. A paisagem escocesa é épica e traz emoções épicas.

“A Escócia é realmente um personagem no filme”, continua Thompson. “Os cineastas não se limitaram apenas a olhar em um livro. Eles foram até lá e passaram um tempo na Escócia procurando diferentes paisagens, remetendo as paisagens à história. Há uma conexão real com o campo – eles adoraram como todo mundo, porque é o país mais bonito do mundo.”

Thompson também teve uma afinidade com sua personagem. “A Rainha Elinor é uma personagem que eu gosto muito porque por um lado ela é bastante impetuosa – a personalidade vibrante de Merida não foi herdada só do pai, mas também da mãe ?, mas Elinor conseguiu colocar isso numa caixa quando ela era jovem e guardar bem fechado. As duas têm que descobrir que aspectos elas aceitam uma da outra, seja os aspectos que já possuem ou os que devem possuir.”

Andrews diz que Thompson capturou a essência de Elinor. “Emma é nobre no mundo da atuação e sabe exatamente o que Elinor precisava ser. Ela é régia, nobre e majestosa, mas ao mesmo tempo consegue ser divertida e engraçada. Ela pode estar muito séria e teatral num momento – e, de repente, contar uma piada. É exatamente isso que nossa rainha é. Emma confere a Elinor a dose certa de emoção, realidade e humor.”

Os animadores muitas vezes usavam as cenas de vídeo da gravação das falas dos atores como referência e, às vezes, inseriam gestos sutis, expressões e maneirismos ao desempenho físico do personagem. Thompson conseguiu ver um pouco de si mesma em Elinor. “Eu adoro o modo como eles fizeram minhas sobrancelhas na personagem. Minhas sobrancelhas estão sempre no formato ligeiramente de questionamento, de preocupação, e eles conseguiram mostrar isso corretamente.”

Thompson acrescenta: “VALENTE tem muita emoção, é eletrizante, cheio de aventuras e muito engraçado em várias partes, porém emocionalmente enraizado na realidade. O equilíbrio da história e o modo como ela se desenrola emocionalmente é a cara da Pixar; é verdadeiro e belo. Ela tem tudo que eu poderia querer numa história, incluindo magia suficiente para causar confusão”.

REI FERGUS

O Rei Fergus é um guerreiro heroico com uma capa majestosa de urso, uma grande bainha para espada e uma perna de pau ? resultado do confronto com o demoníaco urso Mor’du. Sua vingança contra a fera que tirou sua perna faz de Fergus um feroz e determinado caçador de ursos, o que fica evidenciado por sua casa cheia de troféus de todos os tamanhos.

De acordo com Pilcher, os cineastas decidiram logo no início que Fergus deveria ser grande, forte e um pouco explosivo. “Seu símbolo é a espada”, diz Pilcher. “Ela representa agressão e defesa. Eles estão vivendo um período de paz, mas seu mundo é muito volátil, então Fergus está sempre pronto para entrar em ação.”

Mostrado em sua cara de menino e por suas expressões joviais, o rei tem um lado suave também. Protetor do reino e da família, o orgulho de Fergus por sua primogênita Merida é inigualável, e ele transmitiu a ela suas grandes habilidades e paixões pela espada e pelo arco e flecha.

“Valentia é uma parte essencial da vida de todos”, diz Billy Connolly, que faz a voz de Fergus. “Pode significar enfrentar algo que você morre de medo e não demonstra. Ser comediante pode significar ser valente – só de subir num palco na frente de uma multidão e fazer algo que é apavorante para você.”

A diretora Brenda Chapman soube desde o início que Connolly poderia assumir o papel de Fergus. “Billy Connolly foi minha primeira escolha para o papel do Rei Fergus”, diz ela. “Ele é hilário; eu morro de rir com ele. Eu queria que Fergus fosse exagerado, quando ele fala, tudo soa muito incrédulo. Eu simplesmente não conseguia pensar em ninguém mais que tivesse tanta energia.”

Andrews acrescenta: “Billy é exatamente como Fergus no que se refere ao fato de ele ser um comediante extrovertido, que é rápido como um chicote, tem muita perspicácia e só quer contar histórias o tempo todo. As sessões de gravação eram uma confusão, como a vida imitando a arte, nós fazíamos intervalos para ouvir as incríveis histórias de Billy. Era simplesmente hilariante.”

Connolly pode ter sido uma combinação perfeita para Fergus, mas o ator e comediante achou o papel desafiante. “Foi muito divertido fazer a voz de Fergus”, afirma ele, “mas de certa forma foi uma das coisas mais difíceis que já me pediram para fazer. O rei é um bom guerreiro, ele é um bom arqueiro. Ele é um cara enorme, como uma montanha, mas na verdade é bem gentil e carinhoso. Eu gosto disso nele.”

Mas foi a história da família que mais atraiu Connolly. “O que eu achei mais interessante foi que há grandes verdades familiares no centro do filme. Embora eles sejam da realeza, eles ainda passam por essa situação mãe, pai e filha, e são pessoas de diferentes gerações vendo coisas de diferentes maneiras. É muito parecido com o meu relacionamento com minhas filhas. Pais e filhas tendem a se relacionar de modo elegante, mas há uma grande cegueira que acontece com os pais quando lidam com suas filhas.”

OS LORDES:

Os três lordes do reino – Dingwall, Macintosh e MacGuffin – são indisciplinados líderes superprotetores de seus respectivos clãs. Outrora facções oponentes, eles foram unidos sob a espada do Rei Fergus e mantidos unidos pela diplomacia e sabedoria política da Rainha Elinor. Os clãs são convocados para o Castelo DunBroch para competir nos Jogos Highland, mas os lordes logo se sentem ultrajados quando Merida desafia uma tradição sagrada. Os clãs se voltam para seu passado de lutas, o que ameaça a frágil paz de todo o reino.

LORDE MACGUFFIN E JOVEM MACGUFFIN

O imponente Lorde MacGuffin é cheio de músculos e dignidade. Embora seja um homem de poucas palavras, sua voz profunda ressoa pela terra, exigindo respeito e contribuindo com sua reputação como o lorde mais imparcial e sensato do reino. Mesmo assim, como seus conterrâneos lordes, MacGuffin não se opõe a uma boa briga ou a uma boa gargalhada.

Falando um dialeto incomum que é incompreensível para a maioria, o jovem MacGuffin é um rapaz tímido de grandes proporções. Ser o centro das atenções não é o forte dele, mas ele não hesitará em entrar numa briga ao lado do pai e do clã quando a ocasião surgir.

“Eu interpreto dois personagens no filme – o Lorde MacGuffin e o Jovem MacGuffin”, diz o ator Kevin McKidd. “O Lorde MacGuffin é um cara grandão com uma barba grande e sobrancelhas peludas, parecidas com as minhas. Ele é justo e honesto, mas ele quer muito que seu filho ganhe a mão de Merida. O Jovem MacGuffin é o mais inocente dos três pretendentes e tem um sotaque que ninguém compreende. Eu cresci numa região da Escócia próxima a Inverness, lá no alto nas Highlands, onde falam um dialeto que meu avô falava, e que algumas pessoas ainda falam hoje em dia. Chama-se Doric, e é bem impossível de compreender. Os diretores decidiram usá-lo, eu sinto muito orgulho de o dialeto da minha região vir a ser difundido em todo o mundo.”

Também pai, McKidd logo entendeu o tema central do filme. “Eu tenho uma filha e um filho, há caminhos que eu gostaria que eles seguissem, mas no final das contas, eles terão que tomar suas próprias decisões e trilhar seus próprios caminhos. Eles têm que cometer os próprios erros. Nós podemos ajudar, mas eu acho que assim que os pais tentam assumir o controle, as coisas tendem a dar errado. Eu acho que é por isso que o tema desta história é tão identificável para a maioria das famílias.”

“Para mim, ser valente significa seguir seu próprio caminho e não seguir o caminho dos outros”, continua McKidd, “mesmo quando você sabe que pode não ser o caminho mais fácil. Se você sente paixão suficiente por algo, ter a coragem de seguir esse caminho é a verdadeira valentia.”

LORDE DINGWALL E PEQUENO DINGWALL

Rabugento e de pavio curto, o briguento Lorde Dingwall resolve todos os problemas com murros, apesar de sua pequena estatura. Sempre pronto para entrar numa briga ou numa discussão acalorada, ele não tem escrúpulos de enfrentar mesmo o mais forte adversário para afirmar sua própria posição no reino.

“Dingwall é o mais baixo, o mais velho e o mais frágil dos lordes, mas à sua época ele foi muito temido”, diz Andrews. “Ele é como um velho intratável que se senta na varanda e grita com os filhos dos vizinhos: ‘saiam do meu gramado!’ Esse é o Dingwall. O Pequeno Dingwall é seu filho ingênuo e esquisito.”

Desengonçado e sempre distraído, o Pequeno Dingwall demonstra uma vontade que sobrepõe sua herdada pequena estatura, embora seu pai orgulhosamente use seu filho único como um cão de ataque quando a situação exige.

Robbie Coltrane, mais conhecido pelos fãs de Harry Potter pelo papel de Hagrid na série de filmes campeões de bilheteria, é ouvido como a voz do Lorde Dingwall. “Os chefes dos clãs são incrivelmente engraçados porque eles são velhos rabugentos mal-humorados”, diz Coltrane. “O Lorde Dingwall acha que seu filho é o maior de todos e deve ganhar a mão de Merida. Ele é um rapazinho franzino de aparência estranha, mas ele se orgulha dele assim mesmo. O Lorde Dingwall imagina ter criado um guerreiro maravilhoso, mas quando você o vê, ele é uma coisinha magrinha. É muito engraçado.”

Coltrane acha o título do filme estimulante. “Para mim, ser valente significa superar seus medos. Um soldado muito famoso disse uma vez que um homem que não tem medo não é um homem valente. Um homem é valente se ele tem medo, mas o supera por uma causa melhor.”

LORDE MACINTOSH E JOVEM MACINTOSH

O nervoso, indignado e desequilibrado líder de seu clã, o Lorde Macintosh está sempre à beira de um ataque histérico. Seu sorriso selvagem e aparência feroz, o corpo coberto com tinta azul como se estivesse pronto para guerra e o peito orgulhosamente estufado, proclamam que ele está pronto para batalha a qualquer momento, embora seu latido possa ser pior que sua mordida.

Como primogênito de um lorde, o Jovem Macintosh sabe que tem tudo: físico atlético, charme inegável e longos e fluidos cachos, que deixam as moçoilas suspirando quando ele passa. Mas vaidade e as legiões de fãs também podem ser uma distração quando se trata de ter vantagem nos Jogos Highland.

Craig Ferguson faz a voz do Lorde Macintosh. “Ele é rabugento, mal-humorado e teimoso, mas é um sujeito bom”, diz Ferguson sobre seu personagem. “Ele é mais magro que eu, tem cabelos mais longos e suas tatuagens são mais vibrantes. Eu gosto de pensar que eu tenho a mente um pouquinho mais aberta do que meu personagem.”

Ferguson foi fã do processo de animação. “Eu adoro fazer animação porque você não precisa se vestir e não é limitado por sua própria forma física. Eu posso interpretar um lorde escocês usando qualquer roupa.”

“VALENTE é uma grande aventura para todos os públicos porque tem temas universais, bela animação, interpretações fantásticas e gaitas de fole”, continua Ferguson. “E se tem gaitas de fole, eu estou dentro. Ser convidado para fazer um filme da Pixar é equivalente a uma Royal Command Performance na Grã-Bretanha. Você sabe que o filme vai ser bom. Eu tenho filhos. Eu assisti a RATATOUILLE mais vezes do que os caras que fizeram a animação do filme.”

OS TRIGÊMEOS

Os trigêmeos idênticos Harris, Hubert e Hamish são ruivinhos adoráveis e estão sempre prontos para aprontar, especialmente se houver doces em jogo. Eles se comunicam sem palavras, com sorrisos marotos, olhares sutis e risadas travessas. Este trio bagunceiro gosta particularmente de se esconder nas passagens secretas do castelo, aparecer misteriosamente das paredes e pregar peças em todos, especialmente no pai, o Rei Fergus. Eles têm uma ligação extraespecial com a irmã mais velha, Merida, que é uma das poucas pessoas que conseguem diferenciá-los.

O diretor Mark Andrews diz que os cineastas usaram os trigêmeos para alguns dos momentos mais leves do filme. “Ele correm pelo castelo, causam todo tipo de confusão e se metem em problemas. São um constante tormento para sua babá, roubam todos os bolinhos e tortas, e fogem por alguma passagem ou fenda do castelo.”

A FEITICEIRA

Bem no fundo da floresta nas Highlands, uma casa decrépita e escura é o lar da Entalhes Entalhados. Esta excêntrica e enrugada senhora de aparência inofensiva especializou-se em entalhes de figuras de ursos, estatuetas e curiosidades. Mas há algo mais na reclusa misteriosa. Quando Merida vê além do disfarce e a revela como a Feiticeira que ela realmente é, Merida implora por uma solução mágica para seus problemas. A Feiticeira acaba dando a Merida um feitiço com um lado obscuro, que põe o destino de Merida em jogo.

Julie Walters foi escolhida para a voz da Feiticeira. “Ela é uma mulher bem enrugada com enormes olhos esbugalhados. Ele tem uns mil anos e usou muitos cremes faciais ao longo dos anos. Para uma Feiticeira, ela é habilidosa, engraçada e muito maluca ? não exatamente o que você imagina. Para uma mulher tão pequena, há muita coisa acontecendo, então há muita oportunidade de improviso e diversão.”

O desenhista de produção Steve Pilcher explica que uma variedade de nuances mágicas foram incorporadas ao guarda-roupa da Feiticeira. “Temos pedras de runa costuradas em seu traje para representar a superstição que a cerca. Da mesma forma, seus brincos têm um osso, um círculo e uma espiral celta. Tudo se relaciona à época, complementa-se e harmoniza-se de forma tal que parece incidental, mas exige muita ponderação, pesquisa e planejamento.”

ANGUS

Angus é o forte cavalo Clydesdale de Merida e seu mais leal confidente. Negro como a noite, com focinho e patas brancas como marfim, Angus, assim como Merida, escapa da vida no castelo para dentro da floresta e para as Highlands. Merida acerta alvos montada em suas costas e é capaz de convencê-lo a viver uma aventura atrás da outra. Angus pode ser obstinado, teimoso e às vezes um pouco tímido, mas é um amigo muito dedicado de Merida.

A diretora de arte de sombreamento e tonalidade Tia Kratter e sua equipe passaram várias horas fazendo experiências com lama, copiando os tipos de borrifos que podem acontecer quando Angus galopa pelas florestas. E enquanto o vestido de Merida acabou recebendo um visual autêntico da influência da natureza, Angus secretamente escapou do tratamento. “Ele é um cavalo muito bonito”, diz Kratter. “Para ser sincera, não há lama em suas patas, nós não colocamos.”

Tags

 

8 Comentários

  1. Paulo disse:

    Transformar a família em urso? não tinha como ser outro animal não?
    já basta irmão urso agora tem gente que pensa que isso e um roteiro inteligente…
    ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ
    um lorde peidando na cara do outro(quem faria isso ele tem algum retardo ) ursinhos pulando nos peitos da empregada
    humor pobre e ingenuo
    atores de 40 anos dublando personagens de 80
    preferem trocar os profissonais para por globais totalmente diferentes dos personagens
    todos personagens masculinos desse filme devem ser idiotas isso da pra ver nos trailers
    só já motivo suficiente para eu não ver por que á da pra ver que o filme e ruim com um historia bobinha drama exagerado e piadas pobres
    o publico desse filme e mais feminino por ser um filme de princesa mas para atrair o publico masculino eles colocam lordes retardados e piadas de peido para atrair os meninos mas eles esqueceram que os meninos de hoje não gostam de humor pobre mas sim humor inteligente bolado e na hora certa como nos filmes da DreamWorks

  2. Gabriela disse:

    Otimo!
    estou doida para ver esse filme!!
    parece ser muito legal, dei muita risada só no trailer, acho q esse filme com certeza vai atrair quarquer tipo de publico! todos podem gostar de qualquer genero de filmes!

  3. Gabi T. disse:

    Esse filme é muito lindo!

  4. ixora disse:

    Esse filme é uma graça…adorei! O lugar é lindo, os personagens uma graça e uma historia fofa e divertida para o mundo de hoje.
    Pena que tem tanta gente estupida e algusn que sao machistas, e ficam postando comentarios idiotas só pq o personagem principal é uma mulher…

Deixe um Comentário